quarta-feira, 18 de abril de 2018

OSCARINO E O BONECO PETELECO



O Peteleco nasceu em Manaus, na década de cincoenta, ele é um típico negão beiçola, moleque, maluvido e respondão, foi criado pelo ventríloquo (pessoa que sabe falar sem abrir a boca) Oscarino Farias Varjão, um caboclo do Paraná do Xiborena (no Encontro das Águas dos Rios Solimões e Negro), formaram uma dupla perfeita, tipo unha e carne, fazem sorrir meninos, adultos e velhos, por mais de cinco décadas.

Foram quatros bonecos criandos pelo Oscarino, o primeiro, foi o Chiquinho, depois, o Marinheiro e o Charles, o Peteleco foi o que deu certo, com nome em homenagem aquela famosa cachuleta (pancada com o dedo indicativo ou médio na orelha de alguém).

A Secretaria de Cultura do Amazonas (SEC) contratou o artista Oscarino, ele sempre se apresenta aos domingos, na Casa de Música Ivete Ibiapina (Teatro de Bonecos), na Avenida 10 de Julho e, no Centro Cultural Povos da Amazônia, na antiga Bola da Suframa. Por ser considerado um patrimônio cultural do Amazonas, ele foi agraciado, por lei, com uma pensão vitalícia pelo governo do Estado.

Esta dupla é conhecida nacionalmente, fazem shows de norte ao sul do país. Foram convidados, em 2000, para se apresentarem no “Programa do Jô”, da Rede Globo. O apresentador perguntou ao Oscarino se as crianças tinham medo do Peteleco, pois quando ele era criança tinha medo de boneco. O Peteleco respondeu na maior:

 - O quê? Você senta na boneca desde pequeno? Deixando o gordo todo desconsertado!

Em ano eleitoral, muitos candidatos são conhecidos como “Petelecos”, ou seja, não possuem voz, a não ser a que lhe dá o seu manipulador - o Plínio Valério usava o famoso jargão “Não sou Peteleco de ninguém!” -, tempo depois, mesmo não disputando cargo nenhum, dizem, eu não sei,  que ele continua sendo um perfeito “Peteleco” do Prefeito Amazonino Mendes. Cruz, credo!
,
Tem um detalhe, o Peteleco é um garoto “cincoentão”, ele é muito requisitado para fazer shows para adultos, ai bicho pega, ela conta piadas de sacanagem o tempo todo, a galera gosta muito do tema de “corno”, não sei explicar essa predileção.

Repertório do Peteleco:

Oscarino pergunta e, o Peteleco responde na bucha:
- Peteleco, quantas partes dividem-se o corpo humano?
- Depende da porrada!

- Peteleco, como se fala noventa e nove em japonês?
- Quazixem!

- Peteleco, fale um pouco de você. 
– Nasci em 15 de maio de 1957, no Boulevard Sá Peixoto, no bairro de Educandos, filho do Oscarino e da Dona Peteleca, sou casado com a Petelecona, tenho um casal de filhos, o Peteleco Junior e a Petelequinha.

- Peteleco, se não fosse eu, tu nas terias nascido! 
- Mas, se não fosse eu, tu já tinhas morrido de fome!

- Peteleco, chifre dói? 
– Não, se doesse eu tomaria Doril, em vez de cachaça!

A dupla está no Youtube, acesse os endereços abaixo, o primeiro, mostra no Programa do Jô, em 2000 e, o outro, num programa de auditório em 1985, na época em que o Ronaldo Tiradentes ainda era liso. 

www.youtube.com/watch?v=yGahqzDtPUc  
www.youtube.com/watch?v=a9rmCxRKMI8  

Palmas, muitas palmas,  para a dupla Peteleco & Oscarino! Com certeza, eles fazem parte da nossa história. É isso ai garotada!

Observação: esta postagem foi publicada em 2011, foi republicada para homenagear ao Oscarino, falecido recentemente, ao 81anos de idade. 

terça-feira, 10 de abril de 2018

CANTORA KÁTIA MARIA – 60 ANOS DE SUCESSO PROFISSIONAL DA RAINHA DO RÁDIO.


Era noite do dia 27 de abril de 1958, o último domingo do mês, sobe ao palco, aos dezoito anos de idade, para a sua primeira apresentação, na qualidade de cantora profissional, a futura Rainha do Rádio, Kátia Maria.

A Rádio Difusora do Amazonas, sob o comando do jornalista Josué Cláudio de Souza, promovia no último domingo de cada mês, um show externo nos bairros de Manaus.

A primeira apresentação da Kátia Maria, na qualidade de artista profissional, foi num palco montado no Boulevard Amazonas (Avenida Álvaro Maia) próximo a atual Avenida Djalma Batista.

A apresentação oficial foi do saudoso João Bosco Ramos de Lima:

“Senhoras e Senhores, a Rádio Difusora do Amazonas, tem a honra de apresentar a jovem cantora Kátia Maria, acompanhada do Regional Mariuá, com Anubis Caçapa, no pandeiro, Domingos Lima, no violão, Zé da Manola, na manola e Ribamar, no sax – ela interpretará a belíssima musica Abandono, da Ângela Maria”.

Com a sua voz possante, a todos agradou, sendo, imediatamente, aceita no seleto grupo dos profissionais da Rádio Difusora, era o casting (elenco) formado pela Izinha Toscano, Maria das Dores, Estevão Santos e Raimundo Clemencio.

“Quando a noite, retorno ao meu lar,
abandonado,
onde eu vivo, sem ninguém...
relembrando os momentos felizes,
do passado,
sinto falta, de alguém,
que foi meu grande amor...”

Passados 60 anos daquele dia de glória, a cantora Kátia Maria, voltará aos estúdios da Rádio Difusora do Amazonas, no dia 29 de abril de 2018, o último domingo do mês, sob o comando do radialista Jurandir Vieira.

A apresentação, possivelmente, será dessa forma:

“Senhoras e Senhores, a Rádio Difusora do Amazonas, tem a honra de apresentar a Rainha do Rádio, para comemorar os seus sessenta anos de artista profissional – vem acompanhada do Regional Caldeira, com Heliomar Paz, no violão, Neto do Pandeiro, no pandeiro e, Raimundinho, no bandolim – ela interpretará a belíssima musica Abandono, da Ângela Maria – com vocês a estrelíssima Kátia Maria!”.

Palmas, muitas palmas para a nossa amada e querida Kátia Maria!

Para conhecer um pouco mais sobre a sua consagrada carreira musical, podem acessar os linques abaixo:


É isso ai.

Foto: José Rocha Martins

segunda-feira, 2 de abril de 2018

PELÉ, GENTE BOA DA NOSSA CIDADE


Foto: José Rocha Martins


Esse cara é o Pelé, motorista number one do Ex-governador Gilberto Mestrinho e sua família. 

Um homem de confiança do "homem".

Estava, diariamente, ao lado do chefe do executivo e, poderia ter usado isso para receber todas as benesses possíveis, pois um pedido seu poderia ser realizado de imediato.



Não soube ou não quis isso, tanto que vive, atualmente, com poucos recursos.



Foi considerado o maior "pé de valsa" dos clubes e lupanares da nossa cidade.



Anda sempre bem vestido, elegante, herança dos tempos palacianos. 



Mora no Conjunto Tocantins, aos finais de semana gosta de tomar umas cevadas na Confraria do Galo.



Gente boa, gosta de cantar, bom de papo, possui um mote "Eu, hein!"




Curtir
Comentar
Comentários
Lili Andrade Muito querido!
Gerenciar


Responder18 h
Paulo Onofre Pelé este é sangue bom!
Gerenciar


Responder17 h
Sebastiao Assante Pelé foi meu colega jogando no Independência Futebol Clube.Fomos campeões amadores da FAF na década de 70. Pelé foi um respeitado zagueiro. Na época o presidente da federação ainda era o nosso Ilustre Flaviano Limonge. Grande colunista do jornal A Crítica. Rochinha o comunique que mandei um grande abraço.
Gerenciar


Responder17 h
Jose Rocha Você, também, faz parte e escreve sobre a nossa cidade. Assim como, o Jose RibamarMitoso e José Roberto Pinheiro Pinheiro
Gerenciar


Responder13 hEditado
José Roberto Pinheiro Pinheiro Pelé faz parte de nodda cidade...
Gerenciar


Responder16 h
Vicente Filizzola Amigo da Confraria do Galo. Pelé um homem de outro tempo.
Gerenciar


Responder10 h
Jersey Nazareno Trindade Já o vi dançando ali no bar Caldeira. My God!, o cara dança pra caramba, meu! Causa inveja nos oponentes. abçs.
Gerenciar


Responder4 h
Carlosramostico Ramos Um grande chofe. Kkkk
Gerenciar


Responder3 h
Roberto Ferreira Pelé o eterno boêmio do Boulevar .Eu em!!!
Gerenciar


CurtirMostrar mais reações
Responder2 h
Jose Rocha Esse tira-gosto de pepino, tomate e queijo coalho é bom demais!